.: Notícias :.
Boletim Eletrônico Nº 1310

DESTAQUES:


Siga o

da SBQ



Logotipo
Visite a QNInt





capaJBCS



capaQN



capaQnesc



capaRVQ


   Notícias | Eventos | Oportunidades | Receba o Boletim | Faça a sua divulgação | Twitter | Home BE | SBQ



22/03/2018



41ª RA: Joaquim Nóbrega traz reflexões sobre a espectrometria atômica


Conferência abordará a formação de nuvens de átomos utilizando-se diferentes atomizadores

O professor Joaquim de Araújo Nóbrega (UFSCar), um dos coordenadores do Grupo de Análise Instrumental Aplicada (Gaia), será o conferencista indicado pela Divisão de Química Analítica, na 41ª Reunião Anual da SBQ, que será realizada de 21 a 24 de maio em Foz do Iguaçu. "Ele é um dos maiores especialistas brasileiros em preparo de amostras e em espectrometria atômica, sendo conhecido e respeitado nacional e internacionalmente por suas importantes contribuições nessas áreas. Sua escolha para a conferência da Química Analítica na 41ª RASBQ foi unânime para nós da Divisão", afirma a professora Clésia Nascentes (UFMG), diretora da Divisão de Química Analítica da SBQ. "Além disso, o Prof. Joaquim tem um visão ampla sobre a Química brasileira, pois foi editor do JBCS por um longo período e já participou dos comitês da CAPES e do CNPQ. Essa vivência possibilita abordagens muito interessantes e conversas muito produtivas sobre o 'ser cientista' e sobre dilemas que muitos de nós vivenciamos no meio acadêmico", completa.

Professor Joaquim de Araújo Nóbrega (UFSCar): "Temos trafegado por águas turbulentas. Precisamos retomar nosso projeto de Nação e precisamos que esse projeto seja absolutamente inclusivo e repare mazelas seculares que têm marcado nosso desenvolvimento descontínuo e causado períodos de estagnação e até mesmo retrocesso."

"Sou imensamente grato às Diretorias da SBQ e da Divisão de Química Analítica pelo honroso convite para ministrar uma conferência durante a 41ª Reunião Anual", disse o professor Nóbrega ao Boletim SBQ (leia íntegra da entrevista abaixo). Sua conferência intitulada "Reflexões e aprendizagens sobre espectrometria atômica" abordará como nuvens de átomos são geradas sob diferentes temperaturas, usando diferentes atomizadores.

Com vasta experiência acadêmica - Doutor pela Unicamp, depois de formar-se na própria UFSCar, orientou 51 mestres e doutores nos últimos 25 anos, além de 14 alunos de iniciação científica e sete pós-docs. Tem 288 artigos, 5236 citações e índice h-36 (Web of Science) - o professor Nóbrega enfatiza a importância do tema da 41ª RASBQ "Construindo o Amanhã".

"Temos trafegado por águas turbulentas. Precisamos retomar nosso projeto de Nação e precisamos que esse projeto seja absolutamente inclusivo e repare mazelas seculares que têm marcado nosso desenvolvimento descontínuo e causado períodos de estagnação e até mesmo retrocesso", declarou ao Boletim SBQ.

Na 41ª RA, além da conferência de Nóbrega, a divisão de Química Analítica terá um minicurso sobre Microfluídica com o Prof. Wendell Coltro (UFG), um jovem e brilhante pesquisador que empolga a todos com a simplicidade e aplicabilidade dos seus trabalhos; um Workshop sobre "Avanços recentes na caracterização de materiais e compostos inorgânicos e suas aplicações analíticas e eletroanalíticas" que está sendo organizando em conjunto com as divisões de eletroquímica/eletroanalítica (ELE) e química Inorgânica (INO) e uma Sessão Temática sobre "Energia: uma abordagem multidisciplinar", organizada pela ANA, ELE, INO e a divisão de materiais. "Vale ainda destacar as duas sessões coordenadas que contarão com seis palestras de importantes pesquisadores brasileiros e apresentação de alguns trabalhos que se destacaram no processo de avaliação e as três sessões de painéis, onde todos terão a oportunidade de discutir ciência e, também de estabelecer possíveis colaborações", completa a professora Clésia.


Leia a íntegra da entrevista concedida pelo professor Nóbrega:

Em linhas gerais e termos leigos, sobre o que será sua conferência?
Sou imensamente grato às Diretorias da SBQ e da Divisão de Química Analítica pelo honroso convite para ministrar uma conferência durante a 41ª Reunião Anual. Nessa conferência abordarei como nuvens de átomos são geradas sob diferentes temperaturas usando diferentes atomizadores, por exemplo, uma chama contendo gases combustível e oxidante, um pequeno tubo de grafite e um plasma de argônio. Será discutido e exemplificado como diferentes temperaturas geram nuvens com distintas populações de átomos no estado fundamental, átomos no estado excitado e os respectivos íons nos estados fundamental e excitado. Considerando-se a formação dessas espécies, será exemplificado como as mesmas são usadas para medições analíticas e aplicações que ilustram demandas cotidianas enfocando a análise química de amostras de alimentos, bebidas, medicamentos, fluidos biológicos, materiais agronômicos etc.

O senhor tem 25 anos de doutorado completo, tendo orientado muitos alunos. Como avalia a evolução da pesquisa científica em sua área nestes anos, no Brasil?
Em parceria com estudantes e profissionais que atuam no Grupo de Análise Instrumental Aplicada (GAIA, Departamento de Química, Universidade Federal de São Carlos) e com equipes de diversos centros de pesquisas e empresas, tenho atuado principalmente em pesquisas envolvendo o preparo de amostras assistido por radiação micro-ondas e o desenvolvimento de métodos espectroquímicos de análise. Ambas as áreas passaram por forte consolidação nas últimas décadas no Brasil e esse amadurecimento pode ser comprovado por eventos com tradição e alta qualidade, tais como o Workshop sobre Preparo de Amostras e o Rio Symposium on Atomic Spectrometry. Contudo, mesmo testemunhando uma expressiva formação de recursos humanos nessas áreas, lamentavelmente tivemos perdas precoces de algumas lideranças. Isso exige que a nova geração assuma esse legado e prossiga com atividades que possibilitem o contínuo crescimento qualitativo das áreas mencionadas, particularmente em análise espectroquímica. Por outro lado, como é típico para os métodos analíticos instrumentais, os custos envolvidos são relativamente elevados e, consequentemente, há uma necessidade crítica de disponibilidade e previsibilidade orçamentária que garanta a continuidade dos esforços bem sucedidos das últimas décadas. Essa é uma questão delicada considerando-se o panorama político e econômico do Brasil nos últimos anos e os desafios exigem estratégias assertivas para o desenvolvimento do país em setores tão estratégicos como ciência, tecnologia e inovação.

Poderia descrever o seu grupo de pesquisa e uma (ou mais) conquista recente?
O Grupo de Análise Instrumental Aplicada foi fundado em 1994 quando juntamente com a Dra. Ana Rita Araujo Nogueira (Embrapa Pecuária Sudeste) implementamos um laboratório com recursos de um projeto PADCT apoiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O Prof. Edenir Rodrigues Pereira Filho (Departamento de Química, Universidade Federal de São Carlos) passou a atuar no GAIA em 2006 e, além dos temas de pesquisa em preparo de amostras e espectroanálise, ele também iniciou estudos em quimiometria e aplicações de laser em química analítica.

Por quase 25 anos, temos realizado pesquisas com apoio financeiro do CNPq, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), da Embrapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e de empresas da área de instrumentação analítica.

Atualmente, trabalhamos nessas áreas com estudantes de graduação e pós-graduação, sendo que já foram formados mais de 120 mestres e doutores no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Química da UFSCar (Mestrados Acadêmico e Profissional e Doutorado Acadêmico).

A principal motivação do GAIA é apoiar os alunos na realização de pesquisas dedicadas à resolução de demandas analíticas e também ao aperfeiçoamento da capacidade dos instrumentos modernos para análises elementares baseadas em processos de absorção, emissão atômica e espectrometria de massas.

Entre as contribuições que poderiam ser citadas destaco a compreensão dos processos químicos e o desenvolvimento de procedimentos verdes para a digestão de amostras assistida por radiação micro-ondas. No estágio atual temos procedimentos que possibilitam a digestão de amostras complexas com soluções diluídas de ácido nítrico. Outras contribuições envolvem o desenvolvimento de materiais de referência na área agronômica, de procedimentos analíticos para a determinação de baixas concentrações e, ainda, de aplicações de estratégias quimiométricas.

O que espera da 41a RASBQ?
Entendo que o tema da 41ª RA SBQ "Construindo o Amanhã" assume fundamental importância considerando-se os percalços do Brasil nos últimos anos. Temos trafegado por águas turbulentas. Precisamos retomar nosso projeto de Nação e precisamos que esse projeto seja absolutamente inclusivo e repare mazelas seculares que têm marcado nosso desenvolvimento descontínuo e causado períodos de estagnação e até mesmo retrocesso. Concordo plenamente com a mensagem expressa na chamada da 41ª RA e tomo a liberdade de repetir aqui pontos que entendo como fundamentais no caminho a ser trilhado: necessidade de "reflexão sobre a criação de novas condições para que o ambiente de ciência e tecnologia do Brasil volte a crescer e se firme como um eixo fundamental do desenvolvimento econômico do país" e "...oportunidade de mostrar que a Química e a ciência brasileira resistirão! ...é hora da nossa comunidade mostrar coesão e reação, fortalecendo ainda mais a sociedade que a representa". (Rossimiriam Freitas, Secretária Geral, http://www.sbq.org.br/41ra/). Para o bem do Brasil e de todos nós!


Cinco artigos relevantes

“Evaluation of inductively coupled plasma tandem mass spectrometry for determination of As in agricultural inputs with high rare-earth elements contents”, R.C. Machado, A. Virgilio, C.D.B. Amaral, D. Schiavo, J.A. Nóbrega, A.R.A. Nogueira, Journal of the Brazilian Chemical Society 2016, 27, 2076-2081.

“Microwave-assisted digestion of organic samples: How simple can it become?”. J.A. Nóbrega, C. Pirola, L.L. Fialho, G. Rota, C.E.K.M.A.C. Jordão, F. Pollo, Talanta 2012, 98, 272-276.

“Understanding the process of microwave-assisted digestion combining diluted nitric acid and oxygen as auxiliary reagent”, C.A. Bizzi, E.M.M. Flores, J.S. Barin, E.E. Garcia, J.A. Nóbrega, Microchemical Journal 2011, 99, 193-196.

“Advances with tungsten coil atomizers: Continuum source atomic absorption and emission spectrometry”, J.A. Rust, J.A. Nóbrega, C.P. Calloway, B.T. Jones, Spectrochimica Acta 2005, 60B, 589-598.

“Effect of acid concentration on closed-vessel microwave-assisted digestion of plant materials”, G.C.L. Araújo, M.H. Gonzalez, A.G. Ferreira, A.R.A. Nogueira, J.A. Nóbrega, Spectrochimica Acta 2002, 57B, 2121-2132.


Texto: Mario Henrique Viana (Assessoria de Imprensa da SBQ)








Contador de visitas
Visitas

SBQ: Av. Prof. Lineu Prestes, 748 - Bloco 3 superior, sala 371 - CEP 05508-000 - Cidade Universitária - São Paulo, Brasil | Fone: +55 (11) 3032-2299