.: Notícias :.
Boletim Eletrônico Nº 1460

DESTAQUES:


Siga o

da SBQ



Logotipo
Visite a QNInt





capaJBCS



capaQN



capaQnesc



capaRVQ


   Notícias | Eventos | Oportunidades | Receba o Boletim | Faça a sua divulgação | Twitter | Home BE | SBQ



13/05/2021



A limonada gourmet de Marcela Barros


Mestranda da UFPE superou adversidades na pandemia e, em meio ao caos, conquistou bolsa de doutorado na Northeastern University

A jovem química Marcela Barros, mestranda da Universidade Federal de Pernambuco, viveu na pandemia a experiência famosa em tantas palestras motivacionais: ela transformou o limão em uma limonada. Mas uma limonada gourmet.

"Quando a pandemia chegou, eu precisei adaptar o meu mestrado para conseguir cumprir os experimentos. Quando ela passar, embarcarei para a Boston, para o meu doutorado", conta a pesquisadora que defendeu sua dissertação em fevereiro e, em março, recebeu a aprovação de sua bolsa de doutorado na Northeastern University.

Marcela Barros (UFPE): "A Northeastern teve dois pontos fundamentais na minha escolha: ela permitiu que eu comece o doutorado à distância e que o valor da bolsa seja guardado, para eu receber retroativamente quando eu chegar lá"

"A história da Marcela é muito inspiradora para todos os jovens pesquisadores da química, porque ela conseguiu passar em um processo seletivo concorrido, em uma língua diferente, ao mesmo tempo que lidava com os obstáculos de sua dissertação, em um ambiente de restrições e distanciamento causado pela pandemia", resume Alan Pilon, membro do Comitê Jovens Pesquisadores-SBQ.

Antes mesmo da pandemia, Marcela já tinha decidido que gostaria de estudar no exterior, "num lugar onde não fosse tão difícil fazer ciência". No Brasil, seu mestrado na UFPE, exigiria a realização de uma série de experimentos em parceria com laboratórios da UFRJ. Com a pandemia, esses experimentos foram alterados e tudo realizado com os reagentes e equipamentos da própria UFPE. "Sem essa adaptação, não teria sido possível concluir a dissertação", relata. Seu orientador, o professor Jorge Luiz Neves, foi fundamental na adequação do trabalho, que foi aprovado finalmente com o título Desenvolvimento de Nanoinibidores Enzimáticos para a Enzima Tirosinase: Interação Molecular, Mecanismo e Cinética Inibitória.

Na mesma época, a jovem pesquisadora começou a busca por uma vaga de doutorado no exterior. A primeira etapa foi encontrar universidades atuantes na área de química biológica, e que ofereceriam uma bolsa. "O primeiro passo foi fazer uma busca manual, nos sites das universidades, para entender como seriam os processos seletivos. Nesse momento escolhi sete instituições", assinala.

Então, Marcela teve que traduzir seu histórico escolar, providenciar cartas de recomendação – feitas por professores que poderiam falar dela em profundidade – e escrever uma carta para cada instituição, contando a sua história, por que queria fazer doutorado, e como poderia agregar valor à instituição. Duas provas também estavam em seu horizonte: o Toefl (exame de proficiência em língua inglesa) e o GRE (uma prova padrão para avaliar graduados no ensino superior).

"Não foi nada fácil. Enquanto eu me preparava para o Toefl – que é um exame caro, e que eu tinha que passar de primeira – eu também estava escrevendo minha dissertação. Então tive que fazer uma boa gestão do tempo", afirma Marcela. "Mas o GRE, por conta da pandemia, as instituições estavam dispensando."

Ao final do processo, Marcela passou em três das setes universidades almejadas, e a escolha final não foi tão difícil. "A Northeastern teve dois pontos fundamentais na minha escolha: ela permitiu que eu comece o doutorado à distância – as aulas começam em agosto, no início do ano letivo do Hemisfério Norte – e também que o valor da bolsa seja guardado, para eu receber retroativamente quando eu chegar lá", afirma a pesquisadora.

No início, ainda limitada pela distância imposta pela pandemia, Marcela não poderá participar da dinâmica em que os doutorandos passam períodos em laboratórios diversos, antes de definir o orientador. Isso terá que ser feito à distância, bem como o acompanhamento do primeiro semestre. "Por enquanto, vou segurando a ansiedade. Estou muito feliz."

Ouça a íntegra da entrevista de Marcela Barros ao JP Conecta:
https://anchor.fm/sbqast/episodes/JP-Conecta-10---A-limonada-gourmet-de-Marcela-Barros-e10q067


Texto: Mario Henrique Viana (Assessoria de Imprensa da SBQ)








Contador de visitas
Visitas

SBQ: Av. Prof. Lineu Prestes, 748 - Bloco 3 superior, sala 371 - CEP 05508-000 - Cidade Universitária - São Paulo, Brasil | Fone: +55 (11) 3032-2299